A clorexidina é um antisséptico catiônico amplamente utilizado para o controle da placa bacteriana. Sua molécula foi desenvolvida durante os anos 40 pela empresa Imperial Chemical Industries como um antisséptico tópico. Mais tarde, nos 70 anos, Löe e Schiott anunciaram suas propriedades anti-placa e anti-gengivite.

Hoje, a clorexidina é o antisséptico de referência por sua alta eficácia e segurança.

A condição catiônica da clorexidina explica sua eficácia de amplo espectro contra bactérias gram-positivas, gram-negativas, vírus e fungos. A ligação da clorexidina à parede celular do microrganismo com carga negativa desestabiliza sua estrutura e causa sua morte.

Qual é o modo de ação da clorexidina?

A carga positiva da molécula de clorexidina também é capaz de unir-se a outras estruturas, tal como a hidroxiapatita do esmalte dentário, a placa dentária e algumas proteínas salivares de carga negativa.

Este fato faz com que a clorexidina seja liberada progressivamente na cavidade oral por 8 a 12 horas, agindo por um longo período de tempo (substantividade).

Pode causar coloração nos dentes?

O uso continuado da substância e, em contato com certas bebidas e alimentos, tal como vinho tinto, café e também com uso de tabaco, pode causar coloração dos dentes, um fato conhecido como coloração ou descoloração extrínseca.

Acredita-se que essa descoloração seja causada pela precipitação de substâncias que contenham este tipo de alimento e bebida conhecidos como cromógenos e pode variar de listras brancas a corantes amarelos ou manchas marrons.

clorhexidina y café

Cabe destacar que este tipo de manchas podem ser facilmente removidas com uma técnica profilática profissional.

Além da dieta consumida, a concentração de clorexidina no produto também afeta o grau de coloração. Na odontologia, estão disponíveis 2 concentrações de enxágue com clorexidina: 0,20% e 0,12%. Ambas as concentrações são eficazes em termos de redução da placa bacteriana e do índice gengival, embora a área de coloração e intensidade seja significativamente maior quando se utiliza 0,20% de concentração de clorexidina.

Ao longo dos anos, diferentes tentativas foram feitas para desenvolver «enxaguantes bucais com clorexidina que não mancham», no entanto, todos os enxaguantes bucais com clorexidina que incluíam o sistema anti-descoloração foram ineficazes contra a gengivite. Portanto, as evidências parecem sugerir que a coloração é um efeito inevitável se realmente queremos que o enxaguante bucal antisséptico funcione.

[i] [ii]

Apesar da possibilidade do aparecimento deste tipo de manchas, que pode ser minimizado por meio do controle da ingestão de alimentos e da duração do tratamento, a clorexidina continua sendo o antisséptico de escolha na higiene bucal, pois evita complicações e, portanto, garante a eficácia do tratamento

clorhexidinaClorexidina:

Molécula catiônica com 2 (+) grupos que produz ligações não específicas à superfícies (-):

  • Microrganismos: PROPRIEDADES ANTISSÉPTICAS
  • Superfície bucal: SUBSTANTIVIDADE

A capacidade de coloração da clorexidina é inerente à sua estrutura química, que também fornece propriedades antissépticas e substantivas.

Literaturas sugeridas sobre a clorexidina

[i]   Balagopal S, et al. Chlorhexidine: The Gold standard antiplaque agent. J Pharm Sci & Res. 2013; Volume 5(12): 270-274.

[ii] Guggenheim B et Meier A. In vitro effect of chlorhexidine mouth rinses on polyspecies biofilms. [Efeito in vitro de enxaguantes bucais com clorexidina em biofilmes de poliepécies]. Res & Sci. 2011; 121(3): 432 – 436.

Nós do Laboratórios KIN, recomendamos que você envie qualquer pergunta ou dúvida sobre esta substância por meio dos comentários.

Siga-nos em: Facebook, Twitter, Linkedin o Instagram.