Os piercings corporais fazem parte da cultura tradicional de muitos países. Um dos piercings mais comuns são os piercings orais, principalmente na língua e nos lábios. No entanto, esta moda que tantos jovens seguem hoje pode ter efeitos adversos na saúde oral. Sabe quais são eles?

Antes de dar um passo tão importante, como colocar um piercing na língua ou outros tipos de piercing nas bochechas, lábios ou dentro da cavidade oral, é necessário familiarizar-se com os cuidados e complicações que podem estar envolvidos. Saiba como tomar extremo cuidado e medidas de higiene como recomendado por especialistas em saúde bucal.

 

Piercing oral, o que são eles?

 

Os piercings orais tornaram-se, nos últimos anos, as perfurações mais procuradas pelos jovens. Consistem na colocação de elementos decorativos de moda, perfurando o tecido à volta da boca ou dentro dela.

Este tipo de decoração não é novidade. Como tatuagens, piercings e outros piercings corporais têm feito parte de muitas culturas e grupos étnicos ao longo dos séculos. No entanto, o maior boom entre os jovens ocorreu nos últimos anos.

 

Qual é a sua localização mais frequente?

 

De acordo com o ICOEV (Colégio Oficial de Dentistas e Estomatologistas de Valência), os locais mais comuns para piercings orais são a língua e os lábios. Além desses locais, cada vez mais jovens e adolescentes estão se voltando para novos desenhos piercing nos dentes, bochechas, frênulos e gengivas, assim como na úvula ou sino.

Dependendo da sua localização, as complicações de saúde oral dos piercings podem ser muito diferentes. Eles podem se manifestar a partir do momento em que o acessório é colocado, ou derivar de má cura ou uso.

A colocação de um corpo estranho na cavidade oral, especialmente se estiver em contato direto com uma área delicada, pode levar a um alto risco de infecção, assim como outras complicações nos dentes, gengivas, língua e outros tecidos moles.

 

Complicações comuns dos piercings orais

 

Muitos estudos científicos têm analisado os riscos envolvidos em ter a boca furada. A recomendação geral é não ter este tipo de intervenção estética, uma vez que estão associados a múltiplas complicações que podem causar graves danos orais.

Entre as principais complicações associadas aos diferentes tipos de piercings orais, destacam-se as seguintes:

 

Dor

 

A dor após a colocação do piercing é o primeiro sintoma que o paciente pode detectar. Pode ser temporário, ou pode durar dias, aumentando de intensidade no caso de alguma complicação.

 

Inflamação

 

Na grande maioria dos casos, os piercings orais e de outros tipos são acompanhados de inflamação dos tecidos. Isto normalmente dura de 3 a 4 dias se não houver infecção que possa prolongar o período de inflamação.

 

Sangramento

 

Ospiercings da língua são mais propensos a causar hemorragia após opiercing. O mesmo piercing deve fazer compressão na ferida, mas se a ferida não cicatrizar adequadamente, se um vaso sanguíneo tiver sido perfurado por engano, ou se tiver havido uma laceração no tecido, a hemorragia pode ser maior.

 

Infecção

 

As infecções são frequentes na aplicação de piercings orais. Alguns estudos certificam que cerca de 20% dos piercings podem desencadear algum tipo de infecção. A boca contém uma grande quantidade de bactérias e, devido às condições de humidade, se não estiverem presentes condições básicas de higiene, o risco de infecção pode ser elevado.

 

Alergia

 

Hoje em dia, os materiais utilizados nas jóias perfurantes são hipoalergênicos. No entanto, alguns materiais como o silicone ou metais podem desencadear problemas de alergia que podem levar à remoção imediata do piercing.

 

Regressão da gengiva

 

Pode ser derivada colocando o piercing numa área que mantenha contacto directo com a gengiva, tal como o piercing dos lábios e da língua. Como está em estreita relação com o tecido gengival e devido ao atrito contínuo gerado pelos movimentos naturais da boca ao falar e comer, é possível que ocorra uma recessão localizada da gengiva. Existem estudos científicos que demonstram a relação entre o uso do piercing e estas lesões.

 

Causas e soluções para o retraimento das gengivas

 

Sialorréia

O aumento da produção de saliva, ou sialorréia, é uma complicação secundária resultante da colocação de um elemento estranho na boca. Isto normalmente diminui à medida que os dias passam, embora possa tornar-se um incómodo quando se fala.

 

Quebra do esmalte dentário

 

O impacto constante da peça metálica nos dentes causa pequenas fraturas que são imperceptíveis no início. Mordiscar as jóias, ou colocar um piercing no lábio superior ou inferior, danifica gradualmente o esmalte, aumentando o risco de cárie e deterioração dos dentes.

 

Diastems

 

Outra das complicações dos piercings labiais é o aparecimento de diastemas ou más posições dentárias. A simples pressão do piercing nos dentes, e tomando como hábito brincar com a peça metálica, move os dentes mudando sua posição gradualmente.

 

Dificuldade para falar ou para engolir

 

Embora a maioria das complicações relacionadas com a fala ou a deglutição desapareçam dentro de dias após a colocação do piercing, em alguns casos pode definitivamente afectar a pronúncia e a mastigação.

Para além destas complicações relacionadas com piercings orais, há muitas outras que podem aparecer, particularmente as relacionadas com uma má colocação da peça ou com a cicatrização da ferida.

 

Cuidados e manutenção após um piercing

 

Introduzir um objecto estranho na boca que estará em contacto permanente com os dentes e gengivas acarreta uma responsabilidade extra. O Colegio de Higienistas de Madrid recomenda que se dirija a um local que esteja registado e controlado pelas autoridades sanitárias, para garantir boas práticas com as medidas de higiene correctas.

Juntamente com esta indicação, o Conselho Geral de Dentistas faz uma série de recomendações para o cuidado e manutenção de um piercing:

  • Cuidar dahigiene do piercing todos os dias, mantendo a ferida limpa e fazendo a limpeza ao redor da jóia extrema.
  • Escova os dentes pelo menos duas vezes ao dia, usando fio dental diariamente.
  • Realizar lavagens diárias com um anti-sépticoenxágue bucal
  • Verificar periodicamente a correcta colocação do parafuso perfurador, para evitar que se solte, com o consequente risco de asfixia.
  • Façam um check-up regular no dentista.
  • Consulte o seu médico ou dentista rapidamente se notar sintomas de infecção ou alergia.

 

Como usar corretamente o enxágue bucal

Encontre os melhores produtos para os seus cuidados de saúde oral entre os variação de KINO paciente tem de usar piercings orais de uma forma muito higiénica.

 

Bibliografia consultada

 

O perigo dos 'piercings' orais - ICOEV Ilustre Colegio Oficial de Odontologos y Estomatologos de Valencia

Lingua e piercings labiais podem causar complicações importantes para a saúde oral - Consejo General de Dentistas de España

Complicações mais comuns dos piercings na cavidade oral - Colegio Higienistas de Madrid

Piercing oral: uma ameaça para a saúde periodontal

Algumas considerações sobre os piercings orais